sábado, 7 de abril de 2007

"Lasciate ogni speranza, voi ch' entrate!"

“POR MIM SE VAI À CIDADE DOLENTE,
POR MIM SE VAI À ETERNA DOR ,
POR MIM SE VAI À PERDIDA GENTE.
JUSTIÇA MOVEU O MEU ALTO CRIADOR,

QUE ME FEZ COM O DIVINO PODER,
O SABER SUPREMO E O PRIMEIRO AMOR.
ANTES DE MIM COISA ALGUMA FOI CRIADA

EXCETO COISAS ETERNAS, E ETERNA EU DURO.
DEIXAI TODA ESPERANÇA, VÓS QUE ENTRAIS! “
(Divina Comédia, Canto III, às portas do inferno)


Quem diria... Eu, quase um ermitão, um “remanescente do século XIX” como querem alguns, tendo um blog!
Devo admitir que a idéia de um blog para este que vós fala já vem sendo arquitetada há algum tempo. Alguns amigos vinham me incentivando, e acredito que a culpa disso é mais deles do que minha (ou seja: estou tirando o meu da reta).
Além do mais, já faz algum tempo que venho sendo requisitado como “escriba” oficial do CXM, fato que muito me honra, apesar de achar que muitos outros estariam mais aptos para tal posto. De qualquer maneira, aqui estou e “diga ao povo que fico!”.
“Tentarei” (é importante notar o uso específico, e deverás necessário, desse verbo transitivo direto para exemplificar ao que estou me propondo aqui) retratar de forma objetiva, clara, sóbria e límpida, todo o “andar da carruagem” enxadrística (garotos, não usem chavões em suas redações vestibulares!) da equipe matonense. “Tentarei” fazer uma atualização toda semana. Histórias (e estórias) não vão faltar.
Evidentemente, como nem só de xadrez vive o enxadrista, espero que esse humilde blog possa se tornar lugar para discutirmos tudo que nos rodeia. Na verdade, o que ME rodeia, pois isso aqui é um blog, e não uma democracia. Filosofia, literatura, cinema, futebol, faculdade, festas, sinuca, relacionamentos, transtorno obsessivo-compulsivo (famoso TOC. Isso merece uma crônica à parte), banalidades, genialidades (Seu Gabriel!), paixões (“Ah, as paixões!”), ou seja: tudo que “der na telha” (mais uma vez meninos: não usem gírias nas redações!). Contribuições serão bem vindas! (e também cobradas!).
Só para lembrar: não quero roubar, por enquanto, o lugar do Professor Pascoale nem do José Saramago. Então, perdoem o estilo e a forma. Além disso, como essa primeira aparição está sendo feita sobre influência de certo impulso quixotesco, não dá para esperar muita coisa. Para entenderem do que estou falando, terei prova de Literatura Portuguesa II na segunda (09/04) e nem comecei a ler o livro necessário para a avaliação. É incrível o dom, e interesse, que tenho em fazer qualquer coisa que não o que realmente preciso.
Acredito que o necessário já foi dito. Espero que alguém realmente leia esse blog. Senão, prometo que me mato. Quem me conhece sabe que não estou mentindo!
"DEIXAI TODA ESPERANÇA, VÓS QUE ENTRAIS! "

Grande Abraço.
Até a próxima.

Obs.: depois explico o porquê do nome do blog. Apesar de ser bem obvio. Ou não?!

3 comentários:

taís_julião disse...

Queridíssimo!!!

Que emoção ver aqui narradas as grandes epopéias matonenses!!! Já era hora!!!

Seu texto me faz cócegas!

Beijo da sua fã!

Felipe El Debs disse...

Leonardo, me ......?

Espero que você se divirta com esse mix de paixões, xadrez e textos, o publico certamente vai.

Faço minha as palavras da Tais, inclusive a despedida.

Reginaldo disse...

Parabéns pelo trabalho Léo , um grande abraço e muita felicidade pois você merece. Amo te. hauhauhauhauahuahuah