sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Jogos Regionais - Jaboticabal - 2008 (1° Parte)

Seguindo a habitual pontualidade que tão peculiar é a deste blog, falemos, agora, sobre Jogos Regionais. De forma indolor, leve, rápida e, principalmente, despretensiosa em se tratando de detalhes.

O 52° Jogos Regionais – da 5° Região Esportiva do estado de São Paulo – aconteceu na aprazível cidade de Jaboticabal do dia 30 de Junho até 13 de julho do corrente ano. O Xadrez (que de certa forma é o que interessa aqui, não?) começou no dia 7 de julho e se alongou até o último dia útil da semana, sexta-feira, 11 de Julho, sendo disputado não só em categorias (absoluto, sub-21, absoluto feminino e sub-21 feminino), mas também em 1° e 2° Divisão (esclareceremos mais tarde essa fantástica idéia da Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo, do Estado de São Paulo).

Fugindo um pouco das considerações “práticas”, vamos nos ater um pouco sobre o material humano do certame, dando destaque especial para a equipe Matonense de Xadrez (surpreendente, não?). Para tanto, se faz necessário conhecer seus integrantes em um brevíssimo "dossiê" sobre cada um.

A equipe fora composta, ou deveria ser composta, por:

- Jayme Augusto Cicogna Gimenes, o Jayminho, que tem 45 anos (vai fazer 46). É médico e um dos jogadores que mais atuou pela equipe Matonense (quase 300 partidas oficiais!). Entre os integrantes da equipe é conhecido pela alcunha de Monk, devido a sua semelhança (“apenas psicológica, devida a, digamos, sua perspicácia mental, é bom ressaltar” – MB). Aparenta ser o mais normal da equipe. É o eterno capitão e, digamos, a voz da razão.

- Fernando César Frare. O Neb, como é carinhosamente chamado desde a adolescência, conta com 33 anos (a idade de Jesus Christ of Nazareth), dos quais boa parte foram moldados no mais puro álcool. É ateu convicto e Corinthiano (o que é contraditório, pois o ateu desconhece a metafísica, mas o Corinthiano é pura metafísica. Sofre e gosta. E não espera nada em troca! Nem neste mundo, nem o outro!). Profundo conhecedor de tudo que contém Metal e algum pré-fixo (vezes sufixos), tais como: Trash, Doom, Black, Heavy, Dance, Power, Symphonic, Drag, Gothic, etc. Trabalha em uma lustrosa Usina de cana de açúcar ("e se não fosse a cana?") onde faz parte do setor fiscal e/ou semelhantes da referida empresa. É o lado pragmático da equipe.


- Fernando Vicente Vivaldo, ou Roy (aquele simpático Tiranossauro Rex, de braços bem curtos, que é amigo do Dino da Silva Sauro, da extinta -sem trocadilhos- série Família Dinossauro), ou mesmo Vivaldão, como é mais chamado, formou-se como Cientista Socialista na faculdade de Zagiefgrado, na Rússia, e agora faz mestrado em Direitos Humanos (ou “direito dos manos”, tá ligado?) na USP, São Paulo, cidade onde reside. Defensor também dos animais, entre outras coisas, acolheu Felipe El Debs dentro de sua morada paulista (mais conhecido como “Atalho para o CXSP” ou mesmo "Albergue da Juventude"- Marcel Heimar, São Carlos, Brasil, Mundo). É a parte diplomática e o relações públicas da equipe.

- Felipe de Cresce el Debs, Mestre Internacional!, economista e/ou o primeiro terrorista Turco-Libanês do mundo, tem 23 anos, e é o mais novo, mas aparentemente mais velho, da equipe. É um dos MI´s mais peludos do mundo, perdendo apenas para Zéqueriv Comeióvisk, Mestre Internacional Russo que mora, atualmente, no parque zoológico da Sibéria. É a fortaleça da equipe. Mais ou menos, como nos bons tempos do saudoso time do Santos de 2002: se o Robinho jogava mal, o time todo não rendia.

- Filipe Tella Guerra, ou simplesmente, o Loco, é mais que um dos integrantes da equipe: é o Psicólogo e Terapeuta Ocupacional do grupo (ainda que seja estudante aposentado de Turismo e futuro trabalhador da Caixa Federal). Filipe já operou os três continentes corporais do corpo humano, a saber: cabeça (onde tem 4 pinos de titânio); tronco (operou recentemente de uma apendicite; e membros (joelho, quando, a long, long time, jogava futebol). Tudo isso em 23 anos muito bem vividos (sexo, drogas e... Pagode). Além do super poder de fator de cura semelhante ao do Wolverine, Filipe consegue ingerir mais bebidas alcoólicas que toda a equipe junta e, pasmem, até mesmo convencer (poder mental semelhante ao do Professor Xavier) o Vivaldinho a sair do quarto e ir pra balada. Sua bebida preferida, além da cerveja, é o Ritrovil ou a mistura dos dois. É a parte insana da equipe: “Nos indivíduos, a loucura é algo raro - mas nos grupos, nos partidos, nos povos, nas épocas, é regra.” (Friedrich Nietzsche).

- Mário Silas Biava, conhecido por alguns simplesmente por Deus ou pela tradução sagrada MB, é o pai (e a mãe) de praticamente toda a equipe Matonense. Tendo convivido com toda a geração enxadrística Matonense de todos os tempos (passado, presente... E futuro?), o véio, como também gosta de ser chamado, ganhou várias títulos postais (Campeão Paulista, Brasileiro, Latino Americano, InterCósmico, Americano, etc) e chegou mesmo a disputar a final do Campeonato Mundial (“E tudo isso, antes do computador!” – ressalta o Mestre). Ao vivo, também chegou a ganhar de vários jogadores fortes, inclusive do GM argentino Miguel Quinteros. Com 63 anos, Mário Biava ainda é o ícone sagrado do xadrez Matonense e já topou ser empalhado, no bom sentido, e ficar exposto no Clube de Xadrez de Matão, depois de sua “transladação cósmica”. Seus interesses atuais (além da família – filha, mulher, genro, amigos - e da Netinha, Beatriz) são orquídeas, patas, palavras cruzadas e similares. É a parte sagrada da equipe. “Meu nome é Ozymandias, rei dos reis: contemplai minhas realizações, ó poderosos, e desesperai-vos!”.

- Leonardo Vicente Vivaldo, ou simplesmente Vivaldinho, tem 23 anos e também atende pelo codinome Hardy (é, isso, aquela hiena... “oh, céu, oh vida”, etc). Consta, ao lado direito da tela, uma definição razoavelmente interessante sobre ele. Contudo, é importante acrescentar algumas coisas: Já superou a idéia de ser taxado como louco devido ao seu TOC (boa parte dessas acusações partem do seu Irmão, Fernando. Assistam ao Filme Reine sobre Mim e tentem encontrar o Vivaldinho ali. Vivaldão achou...). Ultimamente, caminha em passos largos para a conformação: vai ficar careca. Além disso, vive em luta com uma gastrite que já é quase de estimação. “Te agradas o delírio? Peace and Love!”.

Conhecido os personagens, alguns fatos antes do início dos Jogos marcaram a equipe:

- A greve dos professores do estado de São Paulo quase impediu o Vivaldão de jogar. Na última hora, última hora mesmo, deu tudo certo. Mas todo ano é assim;
- Jayminho não ia jogar! Um a menos para tentar colocar a ordem na equipe;
- Domingo, dia 6 de julho, Vivaldinho ainda rabiscava trabalhos para a faculdade no computador, enquanto Vivaldão e Felipe enchiam o saco;
- Frare não jogaria todos os dias (e se não fosse a cana?);
- E a mais triste as notícias: o Bar do Gaúúúúúcho (reduto onde desfila a mais nobre e fina casta da sociedade Matonense) seria fechado! Um absurdo... Essa notícia caiu como uma bomba e abalou toda a equipe (pelo menos mais de 51% da equipe);
- Vivaldinho tinha perdido seu cartão de crédito.
- Antes de iniciar o certame, Vivaldão, em um lampejo de lucidez incrível, definiu muito bem a equipe: "Somos (tirando um pouco o Felipe) igual a equipe Brasileira do revezamento 4 x 100m: Juntos somos até fortes... Mas sozinhos somos um desastre!";
- Neb preferiu classificar a equipe matonense da seguinte forma (como este espaço é, mais ou menos, democrático, então, vamos respeitar a opinião do Neb - o que não condiz, necessariamente, com a nossa opinião):
. Aposentados: Mário Biava
. Jogadores de fim de semana: Frare e Jayme
. Cachaceiros: Guerra e Vivaldinho
. Debilóides: Vivaldão e El Debs;
- A equipe Matonense conta com Técnico, Capitão e... Preparador Físico. Quem duvidar, pode consultar os autos;
- Todo ano que o Filipe Guerra vai a gente não ganha. Fica em segundo. Este ano poderia ser diferente? Será?;
(Fim da 1° Parte)

2 comentários:

Anônimo disse...

bela coletanea de fotos!
Bjs

Marcel Utiyama disse...

Bom faz tempo que eu li esta postagem e eu havia esquecido de comentar!

Sobre as fotos realmente uma bela coleçao! Um destaque para as fotos do Frare e do Felipe!

Agora chega de elogiar, cadê o resto?
Hehe
flw abraço!